Julia Roberts:

Apaixonada pela arte de enxergar o lado mais colorido das coisas. Quinze (15) anos. Virginiana. Acredito que todos nós temos que deixar uma marca, mas ainda não sei qual a minha. Um pouco indecisa digamos. Minha mente muito aberta desperta o meu nervosismo. Apaixonada por história. Gosto de escrever sobre o amor, e do quanto ele é importante. Busco uma maneira de expressar todo o meu sentimento naquilo que escrevo. Já que falar não é minha coisa favorita.

Pollyana Zucchetto:

A força mais potente do mundo para mim, é o amor. Eu ficaria na dúvida entre fascinada e divertida, também diria atraída pelo senso de humor e pelo dom de tropeçar nos altos e baixos da vida e ainda sim enxergar o lado engraçado da situação.. Estou aqui com o dever (sim, dever) de fazê-lo entender que toda poesia na minha visão, é uma auto-biografia do poeta que a escreve. Quinze (15) anos. Pisciana. Nunca escrevi algo e me senti totalmente satisfeita, uma escritora satisfeita não satisfaz, eu aprendi.

Ana Luísa Tambara:

Uma ariana com sentimentos. Se é que isso é possível. 18 anos, mas ás vezes parece que tem 80. Acadêmica em Letras, portanto, a louca da Literatura. Viciada em Clarice e Drummond. E quando eu digo viciada, é viciada mesmo, de saber na ponta da língua várias citações. Talvez um pouco (muito) viciada em séries e a rainha do ´´vamos?´´ ´´vamos!!´´. Nem vem com muito mimimi, aqui é 8 ou 80 mesmo. Perfeccionista até na hora de ajeitar a cama.

Thobias Toniolo:

Também conhecido como: um poço de sentimentos e de sensibilidade, bem como diz meu sol em Peixes. 19 anos com uma Vivência de 39 em assuntos amorosos, empatia é meu lema e desastrado até nos laboratórios. Acadêmico de Biomedicina, mas não se engane, adoro o contato humano e sou um romântico a moda antiga. Adoro escrever sobre minha vida como LGBT e se me xingarem eu choro.

Daniel Baigorra:

Cansado de não ter nada para fazer resolvi começar a brincar de escrever, olha no que deu. Pisciano, louco dos signos/ astrologia. Falo por memes, as vezes. 19 anos de muitos ‘’não entendi’’, falhas e piadas sem graça. Me chama para bar de rua, nada de ‘’balada’’. Não sei perder nem no par ou impar, me desculpem por isso. Aposentado do ‘’Uno’’ por perder algumas amizades resolvi investir no truco. Sempre tiro o lado bom das situações ruins, e se não der, paciência, a gente se abraça e toma um café.

Laura Dornelles:

Apaixonada por pessoas, amizades e amores. Acha um amor novo em cada livro lido, colecionando-os ao longo dos anos. Demorou 17 primaveras para entender que o que julgava ser seu maior defeito, era na verdade sua maior qualidade. Vê esperança no mundo, mesmo se decepcionando em várias ocasiões. Com o passar dos anos, acabou por perder o medo de se atirar de cabeça nos abismos da vida. Ama sair para rever amigos, mas tenta passar longe de festas noturnas. Aprendeu a escrever por dor, mas hoje continua a escrever por amor. É positiva demais, tendo sempre muita expectativa. Escolheu Pedagogia, mas também quer cursar Psicologia e Astronomia.

Bianca da Trindade:

Apaixonada por astronomia e tecnologia, quem olha essa carinha até pensa que é durona (e por vezes é mesmo) mas no fundo é tão romântica que nem Álvares de Azevedo saberia decifrar. Acredita que a empatia e o amor devem prevalecer sempre. 18 anos e uma vivência de 50. Menina dos textos românticos clichês, escreve sobre amores vividos e não vividos. Acadêmica de engenharia, desastrada e bem doida. Adora conhecer pessoas e fala demais, sinceridade é seu maior defeito. A louca dos cabelos coloridos que enjoa rápido dos mesmos. Encontrou nas palavras e na música uma forma de tornar a vida mais leve e colorida. Gosta de barzinhos.